09/02/2018

Conheça a história da defensora pública Penha Maria de Sá Fernandes

“Ela sempre exerceu com zelo e carinho as suas atividades como Defensora Pública”

Por Raquel de Pinho

DPES

Formada em Direito pela Universidade de Vila Velha (UVV), nascida em Colatina, no Norte do Estado, descendente de mineiros e moradora de Vila Velha. A Defensora Pública Penha Maria de Sá Fernandes é mãe da Izabela, de 26 anos, que também é formada em Direito.

Ainda antes de iniciar a faculdade, Dr. Penha trabalhava em banco e posteriormente foi trabalhar na área administrativa da Cesan, pela Fundação Ceciliano Abel de Almeida (FCAA), onde conseguiu condições de pagar a universidade.

Como trabalhava para pagar a faculdade, não teve tempo de estagiar e só após formada conseguiu ter um contato maior com a área de atuação, trabalhando em escritório de advocacia.

Entretanto, ainda como universitária, tinha aulas práticas de Direito Civil, na área de família, com o falecido Defensor Público Arnaldo Thiago Guimarães Filho.

Trajetória
Sua trajetória na Defensoria já teve início na Vara da Infância, em 3 de Outubro de 1987, na época era Juizado de Menores. “Somente uma época fui transferida para trabalhar numa criminal em Vila Velha, mas depois retornei para Infância. Foi na época em que o Juizado de Menores abrangia todas as comarcas, Vitória, Vila Velha, Cariacica e Serra. Eu fazia as quatro comarcas”, lembra Dra. Penha.

Depois, em 1996, quando o Tribunal começou a instalar as varas da Infância na Grande Vitória, a Defensora foi designada para trabalhar em Cariacica. Lá permaneceu até sua aposentadoria. “Saio triste por deixar um trabalho que tenho prazer em realizar. Mas tenho convicção que cumpri meu papel na Infância”, declara Penha.

A Defensora Pública Nádia Muricy Oliveira é uma das grandes amigas da Dra. Penha, desde a faculdade. Segundo ela, trabalharam em várias comarcas, mas Penha, preferencialmente sempre atuou na vara da Infância e Juventude. “Ela sempre foi apaixonada por esta pasta e sempre exerceu com zelo e carinho as suas atividades como Defensora Pública”.

“Sempre teve bom relacionamento com funcionários e estagiários. Não me recordo de ter recebido qualquer reclamação da Dra. Penha. Ela sempre foi muito atenciosa. Atendia a todos sem a exigência de se fazer agendamento futuro”, lembra Dra. Nádia.

O Defensor Público, coordenador do Núcleo de Infância e Juventude, Hugo Fernandes Matias, ressalta que Dra. Penha é uma Defensora que participou intensamente dos trabalhos do Núcleo da Infância. “Ela cuidou da unidade do Centro Sócio Educativo (CSE), em Cariacica, por mais de um ano. Era a Defensora responsável pela Infanância e Juventude Civel de Cariacica. Participou demais da construção do procedimento que levou às audiências públicas sobre o Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil (CAPSi).

“É uma Defensora engajada e alegre que nos contagiava com sua energia. Ela fará muita falta na Defensoria Pública. Ela está deixando a gente aqui com o coração apertado e os olhos cheios de lágrimas. E deixou a gente com uma promessa de que nós íamos continuar trabalhando e batalhando pelas crianças e pelos adolescentes de Cariacica”, completou Dr. Hugo.

Atualmente
Dra. Penha se aposentou no dia 31 de janeiro deste ano. “Sei o quanto ela gostaria de permanecer na Instituição, mas sei e espero, e principalmente desejo, que seja um novo ciclo, com novas oportunidades de crescimento, e que ela seja muito feliz e realizada em tudo que vier daqui para frente”, finaliza Dra. Nádia.